Revista Criança Cidadã - Matérias

Esporte como transformação social na ABCC

Edição 26 - Maio/Agosto 2018

O esporte é uma das grandes ferramentas de inclusão e a Associação Beneficente Criança Cidadã (ABCC) tem incentivado a prática de modalidades olímpicas em sua sede, no Cordeiro, onde funciona desde 2005 um projeto social voltado a crianças em situação de vulnerabilidade. Em julho deste ano, houve o lançamento do 1º Festival de Artes Marciais da ABCC, que reuniu todos os alunos da instituição para atividades que envolveram caratê, judô e taekwondo.

A finalidade do evento foi a de ressaltar o viés educativo do esporte. Por isso, todos os participantes receberam medalhas. A abertura ocorreu no dia 20, com a equipe de caratê liderada pelo professor José Lessa Júnior executando golpes típicos do esporte. Foi a primeira vez em que os pequenos caratecas testaram o aprendizado da modalidade, inserida ano passado na grade da ABCC.

Já a turma de taekwondo, arte marcial introduzida na Associação em 2018, entrou em ação no dia 26. Os alunos lutaram com crianças do projeto Anjos do Taekwondo, da Imbiribeira, que tem a coordenação do professor Waldomiro Amorim, mais conhecido como Mirinho. Os visitantes estiveram sob supervisão dos técnicos Anderson Cristiano e Wallace Apolinário.

O professor de taekwondo da ABCC, Pedro Freire, avaliou positivamente a participação dos alunos no festival. “Saio com satisfação. Vi que o trabalho que desenvolvo aqui há alguns meses está surtindo efeito. O que ensinei, eles executaram com perfeição. Alguns alunos meus lutaram com atletas mais pesados, que chutam mais forte. Mesmo assim, eles não baixaram a cabeça e vejo muito futuro neles”, comentou.

O pequeno Cleysson Dias, 13, que venceu as duas lutas que disputou, é aluno de taekwondo da ABCC e gostou da primeira experiência no esporte. “Eu achei bem legal. Na minha primeira luta, não fui da forma que esperava, por estar um pouco nervoso. Já na segunda, me soltei e estava dando bons chutes”, detalhou Cleysson, que projeta continuar na modalidade quando se tornar adulto.

O encerramento ficou por conta da turma de judô, no dia 31 de julho. O professor da modalidade na ABCC, Anderson Felipe, conduziu a participação dos pequenos atletas. Uma equipe de judocas do Movimento Pró-Criança esteve presente e colaborou com a organização do festival, nessa ocasião.
Diversos alunos tiveram a oportunidade de lutar judô pela primeira vez. Foi o que aconteceu com Cláudia Kaline, 9, que venceu as duas lutas disputadas na categoria sub-11. “Foi bom porque assim eu aprendo mais. Deu um frio na barriga, mas depois voltei ao normal”, disse. “Graças ao judô, eu posso lutar com pessoas que não conheço e ir a novos lugares”, completou.

O 1º Festival de Artes Marciais da ABCC serviu de aquecimento para várias dessas crianças, as quais disputaram o primeiro torneio externo em agosto: a Copa AABB de Judô, que reuniu atletas de várias associações esportivas de Pernambuco. Além disso, elas participarão de competições oficiais durante o segundo semestre, como o Campeonato Pernambucano (segunda e última fases), o Troféu Luiz da Mota Interestadual e o Campeonato Brasileiro de Judô.

Professor Anderson ressaltou o significado de ter um festival de artes marciais no projeto. “A importância desse festival é descobrir novos talentos, essas figurinhas novas que vão aparecendo e vamos projetando para a equipe principal, traçando um futuro para essas crianças”, analisou.

NOVO TORNEIO – No dia 17 de novembro, a ABCC vai promover o 1º Festival Nildo Nery dos Santos – desta vez, envolvendo outras associações de artes marciais de Pernambuco. Assim, os alunos da Associação vão trocar experiências com atletas de outras regiões do Recife. O torneio surgiu como uma homenagem ao desembargador Nildo Nery dos Santos (1934-2018), que fundou a Associação Beneficente Criança Cidadã em 2003.

“Dr. Nildo Nery foi um campeão da cidadania, superando o próprio recorde em prol dos oprimidos. Por isso, será eternamente aclamado e aplaudido por todos os que tiveram a honra e o privilégio de conviver com o maior incentivador do voluntariado. Era um ser múltiplo. Foi um grande legado dirigido para todos esses jovens, o que nos compromete a dar-lhe continuidade”, comentou a presidente da ABCC, Myrna Targino.

NOVOS ESPORTES NA ABCC – Desde outubro de 2017, o programa de esportes da ABCC passou a contar com novas modalidades na grade. O caratê, esporte que estreará nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020, foi incorporado ao projeto. No último mês de fevereiro, foi a vez de o taekwondo chegar à ABCC Sede.

“O objetivo do caratê não é só formar atletas para a competição ou medalhistas, mas também formar para a vida. É isso que a ABCC faz: incutir nessas crianças valores primordiais, como respeito, disciplina, humildade e honra. Então, todo esse trabalho é feito para que a criança se torne um cidadão útil para a sociedade”, explica Lessa Jr.

De segunda a sexta, mais de 120 crianças aprendem caratê, judô e taekwondo, na ABCC. Com o aprendizado dos três esportes, os alunos também têm acesso ao lado disciplinar, o que ajuda na formação cidadã de cada uma delas.

Confira outras edições