Revista Criança Cidadã - Matérias

OCC planeja criação de cursos técnicos

Edição 23 - Maio/Agosto 2017

Expectativa é de que os currículos em Instrumento Musical e Construção de Instrumentos ajudem os alunos na preparação para o Ensino Superior.

A Orquestra Criança Cidadã dá um novo passo visando à melhoria da qualidade do ensino de seus alunos com o planejamento da criação de dois cursos técnicos para estudantes ligados à OCC e que estão no Ensino Médio.

O primeiro, de Instrumento Musical, está com a matriz curricular definida, já o segundo, de Construção de Instrumentos, será agregado à Escola de Formação de Luthier e Archetier e ainda passa por ajustes em sua grade curricular.

A expectativa é de que os cursos estejam em funcionamento em 2018, com turmas à tarde, na sede do projeto.

Segundo o Coordenador Pedagógico do Núcleo do Coque, Aldir Teodózio, os cursos técnicos surgem como uma preparação para que os alunos ingressem no Ensino Superior. “A ideia é deixar nosso aluno pronto para a universidade e para o mercado de trabalho. Muitas escolas absorvem músicos técnicos”, comenta.

Neste momento, a corrida é para atender às normas do Ministério da Educação (MEC). “Conversamos com um representante do MEC, que disse que é possível [atender os critérios]. Vamos correr com a documentação e também para contemplar outras exigências”, diz.

Para isso, disciplinas como Ética, Cidadania e Direitos Humanos, História da Música e Empreendedorismo compõem a matriz curricular do curso, que está planejado para seis períodos, com carga total de 1.200 horas (vide quadro na página a seguir).

“De olho nas mudanças do Ensino Médio, que prevê que um dos cursos trabalhe a parte técnica, e também querendo solucionar um problema que temos do horário de ensino integral, nós queremos de alguma maneira fazer com que o aluno passe mais tempo na Orquestra porque a fase em que ele mais precisa aperfeiçoar a técnica é na adolescência”, pontua Aldir. Responsável pela Escola de Formação de Luthier e Archetier da Orquestra Criança Cidadã, o professor Carlos Alberto Gomes ressalta a importância de um curso técnico especializado na feitura de instrumentos. “A nível regional, é uma inovação. É o reconhecimento de uma profissão que praticamente inexiste”, avalia.

Além de elaborar instrumentos de cordas, o curso também servirá para formar arqueteiros, que exercem o ofício de confeccionar e fazer a manutenção de arcos. “Pontualmente, estamos tendo de trazer gente de fora. A demanda é muito grande e a expectativa é formar profissionais de arqueteria para suprir essa necessidade”, revela.

PARCERIA COM A UFPE - Em junho de 2016, a Orquestra Criança Cidadã firmou um convênio com a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) para receber estagiários do curso de Licenciatura em Música dessa universidade. Um dos universitários que frequentam o projeto social é Lúcio Sócrates, 47, que está no 6º período do curso, com enfoque em oboé. O estudante auxilia a professora Roberta Belo, além de participar de outros ensaios na OCC.

“É um aprendizado tanto para mim quanto para os alunos. O estágio tem uma importância fundamental na formação”, analisa. Atuando no universo musical desde jovem, Lúcio - que é neto do célebre compositor de frevos Levino Ferreira (1890-1970) - já trabalhou na Escola Técnica Estadual de Criatividade Musical por dois anos e também se apresenta com a Orquestra Sinfônica do Recife. Para o futuro, ele espera fazer uma pós-graduação e continuar a carreira de professor.

Em abril deste ano, 19 novos universitários começaram a ampliar seus conhecimentos na Orquestra, durante um semestre. Eles deverão cumprir uma carga horária de 20h semestrais, sendo 8h de observação, 4h de regência e 8h de atividades eletivas.

Ao final de cada semestre, os docentes do projeto e a coordenação de estágios da UFPE farão a avaliação final de cada estudante.

Confira outras edições