Revista Criança Cidadã - Matérias

Bem-estar - Parcerias que dão certo

Edição 22 - Janeiro/Abril 2017

Convênios com instituições de ensino do Recife têm proporcionado às crianças da ABCC acesso a serviços educacionais e de assistência social

- Houldine Nascimento

A cada ano, o Espaço Cultural e Esportivo Criança Cidadã (ECECC) vem fortalecendo a relação com diversas instituições de ensino do Grande Recife, por meio de parcerias. Para os alunos, as ações desenvolvidas em conjunto com essas entidades universitárias e escolares estão garantindo acesso a diversos serviços como Assistência Social, aulas de Pedagogia e aprendizado de Inglês e Espanhol.

Foi graças a um convênio entre o Grupo Ser Educacional e a Associação Beneficente Criança Cidadã (ABCC), instituição sem fins lucrativos que gere o ECECC, que as famílias dos educandos passaram a receber diversas orientações de combate às drogas com a implantação de um programa de assistência social, no primeiro semestre de 2016, sob a coordenação de Jandira Mesquita.

“Começamos do zero por não haver um serviço social até então. Fizemos uma leitura para saber como iríamos atuar. Junto à gerência do Espaço, demos início ao programa. Aos poucos, conhecemos a comunidade, os usuários e seus familiares. A gente entende que é uma área de risco. Tínhamos que saber como chegar, para a confiança ser de fato selada”, explica a assistente social.

Muitos jovens da comunidade do Caiara, no Cordeiro, Zona Oeste do Recife, são atendidos pelo Espaço Cultural e Esportivo Criança Cidadã. “As crianças e os adolescentes passam a ter uma relação de confiança, de entender que não é uma ajuda, mas um ponto de transformação de cada um que está aqui”, comenta Jandira.

Graças ao serviço assistencial social, 62 famílias foram cadastradas e passaram a ter um acompanhamento. “Nesse período, conseguimos conduzir alguns jovens daqui a projetos esportivos dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) e do Sport Club do Recife. Eles também tiveram acesso, no CRAS, a cursos de fotografia e grafitagem. Passamos a ter, ainda, uma parceria com o Centro de Referência Clarice Lispector, que é importante para o trabalho de prevenção sobre violência contra a mulher”, detalha.

Outro apoio dado pelo Grupo Ser, que engloba profissionais da Uninassau e da Faculdade Joaquim Nabuco, é um programa de Nutrição em vigor desde junho de 2016. “Nós trabalhamos a educação nutricional, ensinando aos alunos a importância de se alimentar bem. Desenvolvemos projetos lúdico-pedagógicos para o melhor entendimento deles”, destaca a nutricionista Briscyla Vieira.

Jogos tradicionais, como dominó e jogo da velha, ganham uma “versão nutricional”, passando a dar um foco aos alimentos. A criação de uma horta saudável também está nos planos. Para desenvolver essas ações, Briscyla conta com 11 estagiárias. Há um diálogo com familiares e funcionários da ABCC. “Todas as vezes que há uma reunião, escolhemos um tema para conversar com os pais, especialmente porque os hábitos alimentares são formados na infância. Também dialogamos com os professores e com os profissionais da cozinha.”

Além do Grupo Ser, a Universidade Salgado de Oliveira (Universo), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), o Instituto Marista e a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) mantêm projetos em conjunto com o Espaço Cultural e Esportivo Criança Cidadã.

Há três anos, a UFPE desenvolve um programa de Terapia Ocupacional voltado aos alunos do ECECC. A iniciativa ajuda as crianças e os adolescentes do projeto a driblar dificuldades na realização de atividades do dia a dia. Este ano, o programa terá novamente a coordenação da professora assistente do curso de Terapia Ocupacional da UFPE, Marina Rosas. “O objetivo é de capacitar e empoderar os alunos para ações do cotidiano. Tudo isso vem funcionando graças à parceria entre ABCC e UFPE”, justifica.

Atleta de judô de destaque na ABCC, o jovem Gabriel Diniz, 14 anos, participou da terapia no ano passado. “A Terapia Ocupacional influenciou o meu comportamento, os estudos, a educação. Deu mais tranquilidade para mim.”

Outra instituição conveniada é a AIESEC, que promove intercâmbios sociais em mais de 120 países. A parceria com a ABCC já dura três anos, proporcionando aos alunos do ECECC aulas ministradas por jovens voluntários que estão de passagem pelo Brasil. “Nós já recebemos intercambistas de vários países, como Egito, Japão, Bélgica e Colômbia”, cita Mariza Fabrício, coordenadora pedagógica do Espaço.

“É uma parceria muito importante para a AIESEC porque a ABCC recebe vários intercambistas. Além disso, permite uma troca cultural, dando uma nova visão de mundo para as crianças da ABCC e para os intercambistas, que vão sair daqui sabendo da situação do Recife, voltar para o seu país e seguir com esse trabalho voluntário”, avalia a gerente de projetos da AIESEC, Maria Luísa Medeiros.

Este ano, quatro intercambistas da Alemanha, Chile, Colômbia e México ministram aulas, de segunda a quinta, e interagem com os alunos. Entre os temas trabalhados, estão desenvolvimento sustentável e multiculturalidade. No cronograma de atividades, também estão previstas aulas de Inglês e Espanhol. Durante as atividades, eles são auxiliados por voluntários nativos.

O gerente administrativo do Espaço Cultural e Esportivo Criança Cidadã, Gleikson Ferreira, fala sobre o significado dessas parcerias. “Nós temos o apoio dessas instituições para várias necessidades por meio dos convênios firmados. Nós, funcionários, também já fizemos vários cursos devido a essas parcerias.”

Uma grande novidade é que o ECECC passou a contar com um ambulatório, desde março deste ano, em convênio firmado com a Uninassau. “Uma sala foi preparada para isso. Nós já temos uma maca e o parceiro entrou com os materiais”, detalha Gleikson.

Confira outras edições