Revista Criança Cidadã - Matérias

Orquestra Criança Cidadã inaugura núcleo na zona rural de Igarassu

Edição 22 - Janeiro/Abril 2017

Nova unidade do projeto, patrocinada pela EBrasilEpesa, abrigará inicialmente 30 alunos, que terão aulas de teoria musical e flauta doce.

- Carlos Eduardo Amaral

O ano de 2017 começou na Orquestra Criança Cidadã com a notícia da inauguração do terceiro núcleo do projeto, na zona rural de Igarassu, norte da Região Metropolitana do Recife. A cerimônia aconteceu no dia 07 de fevereiro, no complexo das usinas termoelétricas Pau Ferro I e Termomanaus, e contou com a presença dos 30 primeiros alunos do núcleo e de seus pais e responsáveis, que participaram de um coffee break e receberam documentos, fardas e material escolar. Os selecionados passaram por um processo seletivo que teve início com 48 candidatos de duas escolas públicas de Chã de Cruz, localidade na divisa dos municípios de Paudalho e Abreu e Lima, a cerca de três quilômetros das usinas. O processo, que segue o padrão da Orquestra Criança Cidadã, contou com testes de aptidão musical elementar, Português e Matemática, e entrevista de avaliação psicológica, com a presença dos pais.

O coordenador pedagógico do Núcleo do Coque, Aldir Teodózio, conta que visitou quatro escolas e obteve retorno dos diretores da Escola Municipal Maria de Fátima e da Escola Estadual José Antônio Fagundes. “Me garantiram o acesso às salas, levei uma equipe e saí fazendo a divulgação do projeto, deixando uma lista de inscrição com os gestores. Depois liguei para todos os candidatos e marquei dois dias para seleção”, explica. Os testes de aptidão, realizados em novembro do ano passado, foram supervisionados por Aldir e aplicados pelas professoras Amilca Aniceto (musicalização), Daniela Santos (reforço escolar) e pela psicóloga Flavia Felix, além dos monitores Vanessa Mouta e Elton Freitas.

A professora Amilca explica que o teste musical detecta a percepção melódica básica da criança: “Eu olho a capacidade de afinação, a pulsação e a concentração. Quando a criança passa por essa etapa, segue para a entrevista com a psicóloga. Mesmo que ela não seja afinada ou não tenha ouvido, pode perceber o direcionamento melódico, ou seja, se a nota seguinte é aguda ou grave em relação à primeira.”

Na mesma época, foi aberto o processo de seleção para a escolha do docente a acompanhar os alunos do novo núcleo. A professora aprovada, Basemate Neves, é licenciada em Música pela UFPE, bacharela em Regência pelo Seminário Teológico Batista do Norte do Brasil e professora de Canto Coral no Centro de Ensino Musical de Olinda.

“A gente conhece o projeto daqui (do Recife), que é todo estruturado e com uma equipe toda montada. A gente acredita e pretende fazer o melhor possível. Desde a minha primeira reunião com os meninos de lá, vi que eles estão com uma expectativa muito grande. A gente vê nos olhinhos que eles realmente querem aprender. Eu acredito que vai ser um projeto que vai dar muito certo porque a primeira coisa que a gente observa é o desejo”, confidencia Basemate.

Marilia Simas, especialista de projetos sociais da EBrasil Energia, que controla a EBrasilEpesa, comemora a boa expectativa da empresa e dos alunos: “O projeto piloto do núcleo da Orquestra Criança Cidadã em Igarassu é resultado de uma soma de esforços para garantir o resgate social de jovens que moram nas proximidades da empresa, através da música. Acreditamos que investir nas nossas crianças é apostar em futuro melhor para todos.”

FUNCIONAMENTO – Os alunos do Núcleo de Igarassu – divididos em duas turmas (manhã e tarde) – terão aulas de teoria musical e flauta doce às terças e quintas. Um ônibus disponibilizado pela EBrasilEpesa realiza o transporte dos estudantes entre a comunidade de Chã de Cruz e a usina, no km 7,7 da Estrada do Engenho d’Água.

Confira outras edições