Revista Criança Cidadã - Matérias

Alunos OCC (parte 2)

Edição 22 - Janeiro/Abril 2017

- Denise Brito

Denise Brito, 18, estuda contrabaixo desde a implantação da Orquestra Criança Cidadã Meninos do Ipojuca, em 2014. Embora sua conexão com o instrumento transpareça de cara, ninguém imagina que a aluna começou mesmo com o violino (assim como Diego Dias). Mas ainda nas primeiras aulas, fez a troca e se diz bastante satisfeita. Aliás, hoje em dia não se vê mais sem o seu contrabaixo, com o qual pretende se especializar num futuro próximo. Quando olha para trás e remonta os passos até a chegada à OCC, Denise mal acredita que conseguiu, afinal foi a última a passar pela seleção e ainda assim garantiu a sua vaga. “No mesmo ano em que perdi o meu irmão assassinado, veio a Orquestra. Quando passei a ouvir música clássica, veio a visão de um futuro brilhante”, emociona-se. Atualmente no 4º volume do Método Suzuki, a contrabaixista dedica 4h diárias ao instrumento, além das aulas práticas com o professor Claudenisio Mendes, três vezes por semana. O som e o tamanho do contrabaixo ainda assustam alguns à sua volta, mas ela defende o esforço. “Na minha família, todos têm o diploma da vida, do corte de cana ou das cozinhas dos outros, o que não tenho nada contra, mas penso em mostrar a minha mãe a licenciatura, mestrado e doutorado, graças ao projeto”, agradece. Denise tem orgulho do Nordeste e, quando tem a oportunidade de executar peças regionais, considera-se realizada por levar ao público um pouco da cultura de sua terra. “É demais tocar pot-pourri de xotes. Sabiá, é muito bom. Nem parece que é um concerto, parece que estamos em casa”, entrega. Na seara clássica, Denise se derrete pela obra de Mozart. “Se pudesse e o maestro deixasse, a Sinfonia n° 40 estaria em todos os concertos, pois ela desafia o contrabaixista e traz um sentimento”. Sobre o seu estilo participativo, ela justifica: “A intenção é que a Orquestra em si seja assim, vista a camisa em tudo, faça o bem e transmita muita alegria”. Para Denise, não se trata de se sobressair, mas de incentivar os seus colegas. (TF)

Confira outras edições