Revista Criança Cidadã - Matérias

Professores OCC (parte 2)

Edição 22 - Janeiro/Abril 2017

- Jadson Dias

Na família Dias, já são três gerações ligadas à música – e à regência, de modo mais específico. O professor de Iniciação Musical, Percepção Musical e Leitura, Canto Coral e Flauta Doce no núcleo da Orquestra no Ipojuca Jadson Dias, 26, caminha há mais de uma década no ramo musical e parece dar continuidade à história dos seus antecedentes. Além da OCC, é professor credenciado do Instituto d’O Passo e regente de dois corais jovens na Assembleia de Deus. Seu avô, Severino Antão Dias, era maestro de coral. Seu pai, Dário Antão Dias, rege orquestras. Aos cinco ou seis anos, já ficava ao lado do seu pai enquanto ele conduzia as apresentações na igreja. Por volta dos catorze, o próprio Jadson já tinha habilidade para passar as músicas com os coristas adolescentes. E foi com a intenção de ser maestro que entrou para a UFPE, em 2009, mas, sem a opção de formação específica em regência, optou pela licenciatura. Ao passar pelas disciplinas de Educação e Iniciação Musical – nas quais também foi aluno de Flávio Medeiros, tal qual a professora Janayna – além dos estágios, foi se afeiçoando pela docência. Nem tão maleável, nem o mais carrancudo professor. Jadson procura a dosagem certa em sala de aula, como explica: “Me definiria como um professor muito detalhista com algumas coisas e que se esforça para alcançar todos os alunos”, destaca. De terça a sexta, Jadson divide seu tempo nas disciplinas teóricas e ressalta a importância dessa formação: “O aluno que tem a prática da teoria musical não saberá apenas tocar, mas conceituar aquela partitura que está lendo”. No “Ipojuca – Natal de Voz e Música – Ano II”, em 2015, o professor conseguiu inserir um grupo de 37 coristas, que, em 2016, aumentou para aproximadamente 50. “A visibilidade que o coral tem tido é boa para o projeto, para os alunos e para o meu trabalho. Graças ao apoio do maestro e de toda a direção”, agradece. Jadson complementa que os resultados são a longo prazo, mas que com alunos dispostos a aprender, o caminho se torna mais fácil. (TF)

Confira outras edições