NOTÍCIAS

30/março/2016

Reunião trata nova edição das Olimpíadas Criança Cidadã

Evento tem novidades para 2016 e não se resume ao seu período de realização

Por Felipe Bueno de Andrade
A sede da Orquestra Criança Cidadã recebeu, nesta quarta-feira (30), uma reunião para tratar da realização da 7ª edição das Olimpíadas Criança Cidadã, a ser realizada em junho deste ano. O encontro reuniu o desembargador Nildo Nery dos Santos, presidente da Associação Beneficente Criança Cidadã (ABCC), Edécio Gomes, assessor da diretoria de esportes da Associação, e o juiz Paulo Roberto de Souza Brandão, da Vara da Infância e da Juventude do Recife e responsável pelas Olimpíadas. Eles discutiram as atividades ligadas ao evento - que, em 2016, terá um maior número de atividades.

Diferentemente das edições anteriores, a próxima edição das Olimpíadas Criança Cidadã pretende realizar um acompanhamento permanente dos jovens e escolas participantes já neste início de ano. Serão oferecidas palestras de conscientização nas unidades educacionais, núcleos de apoio familiar e mediação de conflitos, além de todo o auxílio necessário para indivíduos e instituições em situação de vulnerabilidade social. “A nossa maior preocupação é livrar esses adolescentes dessas situações de risco, de uma possível condição de abandono. Esse é o objetivo dessas novas investidas das Olimpíadas”, disse Paulo Brandão.

As Olimpíadas em si serão realizadas em junho deste ano na Universidade Salgado de Oliveira - a abertura será no dia 2, com oito modalidades a serem disputadas entre 14 e 27. A competição envolverá aproximadamente 2,3 mil estudantes da Rede Estadual de Ensino. Contudo, este contingente pode aumentar em 2017: o plano é que alunos da Rede Municipal também participem dos jogos. Desta forma, a Associação Beneficente Criança Cidadã pretende ampliar seu impacto na inclusão social - não só entre os estudantes, mas também em suas famílias.

Ainda visando ampliar seus horizontes, o evento também pretende promover seu trabalho de cidadania e conscientização nas telas. Um documentário a respeito da iniciativa já foi produzido e deve ser inscrito no 43º Festival de Cinema de Gramado. A obra relata o resgate de jovens em situação de vulnerabilidade social através da música e do esporte.

Veja mais notícias