NOTÍCIAS

23/julho/2013

Brincadeira e tradição para resgatar os laços de afetividade

A Colônia de Férias movimentou o mês de julho do Espaço Dom Helder Câmara e propôs uma programação educativa às crianças do projeto

Por Devanyse Mendes
O grande desafio dos educadores na atualidade é a relação das crianças com a internet. Uma pesquisa realizada pela Millward Brown Brasil em 12 países aponta que as crianças brasileiras entre 4 e 12 anos são as que mais acessam a internet no mundo todo. Os dados também mostram que, em decorrência desse cenário, o individualismo dificulta a formação de grupos sociais – importantes para o desenvolvimento dos pequenos. Para promover a interação social entre os alunos e ocupar o tempo em que eles estariam ociosos durante o recesso escolar, o Espaço Dom Helder Camara realizou a Colônia de Férias 2013. Jogos lúdicos e brincadeiras tradicionais do universo infantil pernambucano compuseram a programação das atividades, realizadas no período de 9 a 25 de junho.

Na quadra do Espaço, cerca de 80 crianças e adolescentes de 6 a 14 anos participaram das atividades. A coordenadora pedagógica Mariza Fabrício organizou a Colônia e afirmou que ocupar o tempo dos alunos contribuiria para que eles gastassem energia com exercícios construtivos. “Diariamente, eu vejo que os alunos estão gastando muito tempo com redes sociais da internet. Qualquer dinheiro que eles pegam, vão direto para as lan houses. A iniciativa da Colônia de Férias foi direcionar a atenção das crianças para divertimentos que incentivassem o convívio em sociedade”, explica a pedagoga. Para a realização dos jogos de tabuleiro, como dominó, damas, xadrez e ludo, foi utilizado o espaço da biblioteca. Já as partidas de futebol, queimado e corrida aconteceram na quadra do Espaço.

Segundo o professor de educação física da rede estadual de ensino, João Mendes, as brincadeiras são linguagens infantis essenciais, pois através delas as crianças relacionam-se com as pessoas e o mundo a sua volta. “Os jogos auxiliam na construção do raciocínio lógico dos menores, que aprendem e ensinam de forma descontraída”, comenta o professor.

Além da diversão, outra preocupação na hora de organizar o evento foi a alimentação dos garotos. Durante o período de aulas, os alunos frequentam a escola numa parte do dia e, em outro horário, vão à instituição. O funcionamento do projeto é das 8h às 11h30 e das 13h às 16h. Na Colônia de férias, todos podiam participar e ficar o dia inteiro no Espaço. A alimentação foi pensada de acordo com a realidade dos alunos. Muitos não tinham o que comer em casa, por isso a comida acabava incentivando a participação. “Pensamos em alimentos saudáveis e adequados a cada hora do dia. Pela manhã, um café reforçado. No almoço, uma refeição rica em proteínas e carboidratos. Os lanches, servidos entre as refeições, também ajudavam a manter a energia dos meninos”, afirma Mariza.

De acordo com a pedagoga, as atividades estão cumprindo mais do que o seu objetivo inicial, que era promover a diversão dos alunos no período de férias. “Muitas crianças daqui vendem balas e pipocas no centro da cidade; outros engraxam sapato para ajudar em casa. Mantê-los no projeto faz com que eles resgatem um pouco da infância e agucem a imaginação”, completa a coordenadora pedagógica.

Os alunos Emile Vitória, de 6 anos, Dailane Maria Souza, 9 anos e André Júlio, 14, brincaram na biblioteca, jogaram na quadra e ganharam prêmios na pescaria. Para eles, estar no Espaço Dom Helder Camara no período de férias trouxe um colorido maior à vida. A menina Emile gosta muito da biblioteca e das brincadeiras que aconteceram lá, como os jogos de tabuleiro e as atividades de desenho e pintura.“Se eu não estivesse aqui, ia estar em casa, sozinha, porque minha mãe trabalha o dia todo. No Espaço, eu vejo meus amigos, como uma comida gostosa e me divirto muito”, disse Dailane sobre a sua rotina.

André Júlio adora jogar futebol, mas ainda reluta um pouco na hora de estudar. O menino gosta do projeto, pois é tudo uma grande brincadeira. “Eu estudo na escola, mas estudar no Espaço é diferente. A gente brinca muito e também aprende. A Colônia de Férias é muito legal. É melhor do que jogar bola no meio da rua”, comenta, entre risos, o menino.

O encerramento da programação proposta para o mês de julho acontecerá no dia 29, com uma discoteca infantil e a premiação dos destaques da Colônia. Os melhores nas partidas de queimado e futebol receberão medalhas de honra ao mérito e todos os alunos ganharão brinquedos e balas como troféus de participação.

Veja mais notícias