NOTÍCIAS

28/agosto/2012

Resultado do Ideb evidencia a necessidade de reforço escolar nas escolas públicas

Educadores defendem a utilização deste recurso para diminuir a diferença de qualidade entre instituições particulares e públicas

Assessoria de imprensa
São Paulo, 28 de agosto de 2012 - Após a divulgação dos dados do Ideb - índice que mede o desempenho da educação básica nacional - poder público e educadores já pensam em medidas para melhorar os índices e reverter a situação de estagnação enfrentada especialmente pelos alunos do Ensino Médio. Mas quais medidas podem mudar o panorama da educação básica nacional?

A maior parte das escolas que obtiveram melhores notas na avaliação do governo adotou o reforço escolar como prática constante para melhorar o nível de aprendizado de seus alunos. Este caminho é apontado por muitas pessoas como o ideal para garantir que jovens do ensino fundamental e médio absorvam melhor os conteúdos.

Este cenário motivou o educador Gabriel Costa a criar um site que oferece reforço escolar pela internet. “Observamos que mais de 30% dos alunos de uma sala de aula presencial regular não conseguem absorver o assunto lecionado em uma aula de 50 minutos”, avalia Gabriel Costa, educador com experiência de 15 anos em educação básica. A partir destas observações, Gabriel, ao lado do sócio Ricardo Althoff, criou o site Seu Professor.

Criado há um ano, o site - que funciona 24 horas por dia, durante todo o ano - conta com 30 mil usuários cadastrados. Além de videoaulas com conteúdo do ensino fundamental II e médio, o principal serviço é o tira-dúvidas, em que os mais de 150 professores contratados respondem às questões enviadas pelos alunos em até 24 horas de forma personalizada. "Optamos por criar uma plataforma online porque o jovem hoje passa a maior parte do seu dia conectado. Assim, ele pode utilizar a internet também para aprender", explica Gabriel.

Na opinião do educador, complementar o aprendizado não é mais um luxo: "o reforço escolar deixou de ser um complemento e hoje é uma necessidade. O aluno é influenciado por uma série de fatores externos, e hoje é mais disperso do que era anteriormente. As escolas que adotam essa medida têm um diferencial qualitativo no ensino", avalia Gabriel, que aponta outro problema na educação básica: "Ainda há uma grande distância entre a qualidade do ensino entre escolas particulares e públicas. Diminuir esta distância é primordial para a melhoria do ensino básico no Brasil”.

Veja mais notícias